segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Mais um Carnaval - É frevo no pé!

 Concentração do bloco PAPAGAIO NO ARAME do aluno de Clóvis, Fábio Assunção
Quase porta estandarte, em frente a Igreja da São Pedro - Terça de carnaval em Olinda


Frevendo na Rua do Bonfim
Abaixadinho
Recolhendo o  bloco na nossa casa, para um almoço
Saudando a Casa de Olinda - vizinhos mineiros

Eu acho é pouquinho - manhã da segunda






3 gerações no Eu Acho é Pouquinho


Às 9h rumo ao Eu Acho é Pouquinho


Encontro com os Guimarães na Praça do Carmo



Apertadinho com as Guimarães

Após feijoada no quintal: 17 Guimarães com o Cavalcanti
no fundo: Emília, Hilma, Verônica e mamãe (Maria José), Portugal e Mazé, Rei e Vilma, Val
no meio: Davi e Carol, Juliana segurando as costa do namorado, Fábio, Guilherme e Yndhira
na frente: Vera e Clóvis

Vera com kimono de verão: Yukata, do verão japonês para as ladeiras de Olinda
Nosso lado asiático adaptado
agarramento das 3 irmãs
Uma japinha aportou no carnaval de Olinda, servindo sarapatel com pimenta e fez chapinha africana no cabelo...
distribuiu beijos ao amado
e reuniu a família toda para o "Enquanto isso na sala de justiça" no Alto da Sé
animando Maria a cair no frevo
As mimosas irmãs, Verônica, Vera e Mazé, sempre a cair no frevo
Rumo ao Galo
Quando as amigas se encontra, Flavinha e Verinha
O Galo chama
Africana e sempre Índio com urucum
Rumo ao Galo da Madrugada
Direto do Butão para o Escuta Levino - isto é que é felicidade
Vera e Clóvis no Escuta Levino - Recife, quinta pré
Baile do "Eu acho é pouco"
Bom frevo, ciranda, frevo....
Rumo ao Bloco da Saudade
Japa realizada com a cabeleira afro
yutaka - kimono de verão

Veja NETV sobre o ensaio do Bloco da Saudade onde os japas apareçem....

http://globotv.globo.com/rede-globo/netv-1a-edicao/v/bloco-da-saudade-faz-noite-de-nostalgia-em-clube-nos-aflitos/2355705/
Bloco da Saudade

Rumo ao primeiro ensaio da Bloco da Saudade
ensaio do Bloco da Saudade
Flabelo do Bloco da Saudade
Encontros dos Flabelos de bloco lírico

Manhã de Sol do Bloco da Saudade com Clóvis

amigos da manhã de Sol
com as meninas do Bloco da Saudade

video

As aventuras no Butão - 28 jan a 2 fev 2013

BUTHAN - O nome do país é Dragão do Trovão. No dia 10.2.13 comeca o ano da Cobra d'Água Fêmea.
video

Com Clóvis Cavalcanti, na entrada onde se realizou o Encontro do Novo Paradigma - reunião do grupo de peritos para discutir como espalhar em termos globais a proposta butanesa de substituir o PIB (produto interno bruto) pela noção de felicidade interna bruta (FIB) como objetivo do desenvolvimento.

Portal da entrada do Centro de Convencões

Vera na ponte que leva ao Mercado Público

Mercado popular com artesanato local

Monge comprando um sino enorme

Mãe carregando seu filhote nas costas

Camponesa vendendo um exótico chapéu de palha

Cestas



Modelos femeninos diferente

Tecendo uma faixa
Bebê com a roupa tradicional

Entrada do mercado

Mercado de verduras, frutas e legumes

Tudo muito limpo, as vendedoras varrem o chao com uma vassoura de mato
























































































Mosteiro do Tigre Deitado no alto de uma escarpa, acessível somente a pé, 2h30 de caminhada, subindo. Na altitude de 2.500 m. O mosteiro foi fundado por um monhe tibetano no séc. XVII, que lá chegou vindo do Tibete carregado por uma tigresa voadora!

As bandeiras revelam as 5 cores representando os 5 elementos da natureza

Vamos subir a montanha com Clóvis e a guia


Ao fundo a montanha do Mosteiro, subiremos 2h30 a pé


Estou pertissimo do Mosteiro do Tigre: ao longo do caminho, montanhas, neve, sol e calor e frio e as bandeirinhas com os mantras


Quase lá


Estamos bem pertinho - sem fotos no mosteiro - só para os olhos


Desce e sobe - não estamos montados na tigresa voadora

Enfim, Mosteiro do Tigre
Clóvis observa a Cordilheira do Himalaia


Ao fundo Cordilheira do Himalais. O pico mais alto do Butão tem 7.500 m. É proibido escala-lo. 52% da área do Butão é de reservas ecológicas e o país é coberto de floresta em 70-72% de sua área.


Centro das cegonhas do pescoco preto - Phobjikha -  que migram nesta epoca do Tibete para se proteger do frio - aqui é quentinho para elas: menos 5graus

















Na metade do caminho a fazenda - uma região de transição, com muitas frutas e verduras, inclusive cana, abacaxi, mini-abacates, maçãs, nabos.. até palma nas encostas do rio.

Nosso jantar com a família que nos acolheu com muito carinho - sentamos nos tapetes e comemos muito arroz, verduras, pao de trigo sarraceno - com a mão e plantado ao redor da fazenda

Nosso quarto de dormir na fazenda: Atrás da cortina tem um altar dedicado a uma divindade ou antepassados, pois tinha oferenda de alimentos e dinheiro - estava fechado - mas tinha uma vela acessa e incenso



Portal do Mosteiro da Fertilidade - segundo a lenda, as famílias que nao poder ter filhos veem fazer pedidos para engravidar ou ter filhos de outro sexo
Clóvis nos terracos de plantações de trigo sarraceno, mostarda, brocólis ao redor do Mosteiro da Fertilidade


Nesta região tem muitas pinturas de falos - símbolo da fertilidade humana....
Portal do Mosteiro da Fertilidade, onde tambem tem a lenda do LOUCO DIVINO - foi um monge, fora dos padrões, gostava de tomar vinho e resgatava as pessoas perdidas na escuridão para a felicidade, a luz. Não seguia as normas e fazia loucuras em frente a mãe. Devemos ser da sua linhagem... principalmente os loucos de olinda